No intuito de ampliar a transparência e combater a desinformação, o Twitter está testando uma nova ferramenta que expande os rótulos de “fake news” não apenas para quem publica conteúdo falso, mas também para quem curte: a rede social vai alertar quem tentar curtir um post que tenha sido marcado como desinformativo ou falso.

A descoberta foi feita pela pesquisadora Jane Manchun Wong, especializada em analisar plataformas sociais. Segundo Wong, a novidade ainda está em testes internamente e não pode ser acessada pelo público no momento. A especialista, porém, ressalta que a funcionalidade não vai impedir de curtir o tuíte com informações errôneas – apenas criar mais um alerta de desinformação para que o usuário pense duas vezes antes de seguir em frente.

O aviso em si é bastante similar ao que já aparece hoje, para quem tenta “retuitar” um post marcado pelo alerta de desinformação do Twitter. A medida vem para expandir o combate às fake news que a empresa vem travando nos últimos meses. Outro exemplo do tipo é a recente mudança nos retuítes (desde o mês passado, quando o usuário “dá um RT”, a rede pede que ele comente o post em vez de simplesmente reproduzi-lo)

Desde o começo de 2020, porém, o Twitter vem tomando medidas para combater a disseminação de informações falsas pela sua plataforma. Hoje, figuras proeminentes na rede, como presidentes, influenciadores e outras pessoas de certa fama que sejam flagrados compartilhando conteúdo duvidoso são marcados de forma bem evidente no tuíte em questão. Isso já aconteceu com Donald Trump, recentemente derrotado nas eleições presidenciais dos Estados Unidos por Joe Biden; e o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que teve posts apagados pela rede por violação de conduta.

Tuítes marcados com essas notificações, afirma o Twitter, deixam de aparecer nos resultados de busca orgânica da plataforma, nem tampouco aparecem nas linhas do tempo de usuários que não sigam as contas que os publicaram. Sobre a novidade descoberta por Wong, o Twitter confirmou o teste, mas não soube informar quando ele seria disponibilizado publicamente:

“O nosso objetivo é o de dar às pessoas o contexto e ferramentas necessários para encontrar informações críveis em nossos serviços — independente do assunto ou de onde eles estão acessando o tuíte”, disse um porta-voz do Twitter. “Este é um processo cíclico, e nós continuamos a explorar funções e práticas que ajudem as pessoas no Twitter a tomarem suas decisões de maneira mais informada”.

Imagem e Fonte: https://olhardigital.com.br/noticia/twitter-deve-reduzir-sua-capacidade-de-curtir-posts-com-desinformacao/110015